Top Menu
blog_dialight-4

Sempre publicando temas interessantes para a indústria, a revista O Setor Eletrico na sua edição de maio/2015 fala sobre certificação para luminárias LED, segue um trecho do texto publicado.

A publicação da portaria do Inmetro exigindo a certificação das lâmpadas de Led com dispositivo integrado à base é uma grande vitória para os fabricantes, importadores, e comercializadores do mercado de iluminação que buscam a excelência dos produtos deste segmento no Brasil. Contudo, ainda faltam alguns passos para que não pairem mais dúvidas a respeito da qualidade dos artigos com Led existentes no país. Um destes passos é a exigência de certificação para luminárias.

Deve-se levar em conta, todavia, que a certificação específica para luminárias de Led voltadas à iluminação pública já está um pouco mais adiantada que as demais, graças à publicação da Portaria nº 478, de 24 de novembro de 2013, do Inmetro, que disponibilizou para consulta pública a proposta de texto da Portaria Definitiva e a do Regulamento Técnico da Qualidade para Luminárias para Lâmpadas de Descarga e Led – Iluminação Pública Viária.

Laercio Pereira, diretor-geral da Dialight, fabricante de luminárias de Led para áreas industriais, de infraestrutura e atmosferas explosivas, explica que a publicação de um documento que forneça os requisitos mínimos de qualidade para luminárias dos tipos que são produzidas por sua empresa ainda estão um pouco longe de ocorrer. Neste sentido, Pereira alerta para importância de fabricantes proverem informações corretas sobre as especificações de seus produtos, com o objetivo de ajudarem os especificadores a tomar a melhor decisão.

A falta de orientação a respeito das especificações do produto é um problema que vem atrelado ao não cumprimento de determinados requisitos técnicos por parte dos fabricantes. O diretor-geral cita como exemplo o quesito de especificação referente ao nível de distorção harmônica, que traz muita preocupação à indústria, pois pode interferir na qualidade de energia elétrica consumida. Conforme Pereira, como não há nenhuma exigência de certificação, algumas empresas comercializam luminárias de Led com o nível de distorção harmônica acima do que seria exigido por leis internacionais.

Dessa maneira, o ideal seria o consumidor exigir que os produtos vendidos no mercado tenham passado por ensaios ou que os fabricantes forneçam laudos de ensaios de laboratório para chancelar que suas luminárias de Led atendam aos requisitos mínimos de qualidade.

A própria Dialight, segundo Pereira, possui um laboratório próprio, mas envia seus produtos também para serem ensaiados em laboratórios acreditados como o Centro de Pesquisas de Energia Elétrica (Cepel) de acordo com a norma internacional Iesna – LM 79:2008, que fornece orientação para avaliar a segurança fotobiológica de lâmpadas e sistemas de lâmpadas incluindo luminárias. O documento especifica os limites de exposição, técnica de medição de referência e esquema de classificação para a avaliação e controle dos perigos fotobiológicos de todas as fontes alimentadas por eletricidade e radiações óticas na faixa de comprimento de onda de 200 nm a 3.000 nm, incluindo Leds e lasers.

Por meio dos ensaios se obtém dados como fator de potência, nível de distorção harmônica, quantidade de lumens, watts consumidos. “Como se fosse um currículo validado de um profissional”, explica Pereira. Não se trata de um documento de chancela, mas de um atestado em que constam todas as informações técnicas a respeito do produto. Segundo o diretor-geral da Dialux, trata-se de uma forma de o fabricante oferecer estas especificações para seus clientes, já que isto não é uma exigência brasileira.

Em suma, Pereira acredita que, na falta de normalização e certificação compulsória para luminárias de Led, há a necessidade de uma melhor especificação dos produtos. Ou seja, enquanto não existir regras que tornem obrigatórias a fabricação e a comercialização de luminárias de Led de acordo com critérios mínimos de qualidade, é preciso que os especificadores tenham o cuidado de exigir laudos que possam garantir ao produto atender ao mínimo de requisito de especificação.

 

Fonte: http://www.osetoreletrico.com.br/web/component/content/article/57-artigos-e-materias/1685-certificacao-para-leds-agora-e-obrigatoria.html

 

Close